Algumas anotações sobre á relação interdisciplinar entre as Ciências da Informação e a Nova Museologia.

Carlos Conductor, Maura Caboco da Silva, Yanara Dorado Santana

Abstract


O presente trabalho é o ponto culminante da Disciplina de Processos de Museológicos ensinada como parte do Projeto Pedagógico desenvolvido em Angola, para a formação de Profissionais de Ciências da Informação. Neste artigo apresentaremos alguns exemplos de fatos institucionais, profissionais e formativos que anunciam oportunidades de relação interdisciplinar entre a Museologia e ás Ciências da Informação.

Objetivo: Analisar a relação interdisciplinar entre ás Ciências da Informação e a Nova Museologia, sob a perspectiva de caminho integrado no universo do conhecimento.

Metodologia: A pesquisa foi realizada por meio de uma análise documental consistente na análise de toda a fonte bibliográfica referente a esta temática de acordo com a relevância e pertinência do sujeito, a obtenção de informações foi feita através de consultas em livros, artigos e periódicos.

Conclusões: Analisar-se-á a evolução teórica da Museologia, de um modelo centrado nas técnicas e nas instituições para as perspectivas contemporâneas em torno do museu e da complexidade. É realizada uma análise da Ciência da Informação e suas dimensões , a partir de suas diferentes subáreas, em torno de três grandes conceitos de informação: o físico, o cognitivo e o pragmático/social. O cenário epistemológico é amplamente favorável ao diálogo entre as duas áreas, em sintonia com as iniciativas práticas já em curso contexto internacional. A Nova Museologia mostra claramente um ponto de viragem inovador na forma de olhar a questão Museológica. Sendo a participação desejável, esta implica necessariamente uma transformação das organizações e uma actualização das competências dos profissionais. 


Keywords


Ciência da Informação, Nova Museologia e Interdisciplinaridade

References


Alonso Fernández, L. (1999). Introducción a la Nueva museología. Madrid: Alianza.

Anderson, B. (2008). Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras.

Bennett, T. (2004). Pasts beyond memory: evolution, museums, colonialism. Londres: Routledge.

Bolaños, M. (2002). La memoria del mundo: cien años de Museología. Gijón: Trea.

Cameron, D. (1968). The museum as a communication system and implication of museum education. Curator, American Museum of Natural History, v. 11, n. 1, p. 33-40.

Capurro, R. (2003) .Epistemologia e ciência da informação. In: Encontro Nacional de pesquisa em Ciência da Informação, 5, Belo Horizonte. Anais. Belo Horizonte: Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação.

Capurro, R. (2008) . Pasado, presente y futuro de la noción de información. In: Encuentro Internacional de Expertos em Teorías de la Información, 1, 2009. Anais. Leon: Universidad de Leon.

Cronin, B. (2008). The sociological turn in Information Science. Journal of Information Science, v. 34, n. 4, p. 465-475.

Davis, P. (1999). Ecomuseums: a sense of place. Londres: Leicester University Press.

Day, R. (2001).The modern invention of information: discourse, history and power. Carbondale: Southern Illinois University Press.

Deloche, B. (2007). El museo virtual. Gijón: TREA, 2002.

Duarte, A. M. O Museu Nacional da Ciência e da Técnica: 1971-1976. Coimbra: Ed. Universidade de Coimbra.

Feather, J.; Sturges, P. (2003). International encyclopedia of information and library science. Londres: Routledge.

Fernández de Paz, E; Agudo Torrico, J. (1999). Patrimonio cultural y museología: significados y contenidos. Santiago de Compostela: Federaci- ón de Asociaciones de Antropología del Estado Español (FAAEE).

Fernández Molina, J. C; Moya-Anegón, F. (2002). Perspectivas epistemológicas “humanas” en la documentación. Revista Española de Documentación Científica, v. 25, n. 3, p. 241-253.

Marteleto, R; Lara, M (2008). A dimensão epistemológica da ciência da informação. São Paulo: Cultura Acadêmica.

Gómez Martínez, J. (2006). Dos museologías: las tradiciones anglosajona y mediterránea: diferencias y contactos. Gijón: Trea.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Revista Publicando.

Licencia de Creative Commons

 

This Content is available under licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.